SELF

5 coisas que toda a mulher deve saber sobre o congelamento de óvulos

A médica tenta responder as maiores dúvidas das mulheres com relação ao procedimento

O sonho de gerar vida, está presente na vida de milhares de famílias brasileiras. No entanto, à medida que se debate o empoderamento das mulheres, pouca atenção tem sido dada ao processo real de congelamento de óvulos (também conhecido como “criopreservação de óvulos”). A Dra. Camila Ramos (@dracamilaramos), médica especialista em Medicina Reprodutiva e diretora da Clínica Médica da Barra explica que a grande resistência ainda acontece por grande parte das mulheres presentes no consultório.

O preconceito se instala a partir da primeira pergunta: “Você já pensou em congelar seus óvulos?” Nem todo mundo entende que esta técnica pode se encaixar em qualquer idade, com pretensão para engravidar a curto ou a longo prazo. “Ainda sou muito nova!” ”Mas, eu sou saudável.” ”Será que dói?”, “Preciso ter um parceiro para congelar os meus óculos?” Essas são as respostas mais comuns daqueles que ainda não conhecem ou tem dúvidas sobre o método.

Fora do Brasil, a tática para o congelamento de óvulos é o grande incentivo às mulheres que desejam estender o período trabalhista. De acordo com a revista americana Forbes, empresas como Google, Facebook Apple já cobrem as despesas do congelamento de óvulos para funcionárias que desejam adiar a maternidade imediata. O procedimento, que ainda é opcional nessas empresas, dá às mulheres a liberdade de planejar o melhor momento para ter filhos, sem qualquer tipo de preocupação com os limites biológicos. 

Mas, até que ponto o congelamento de óvulos é interessante? Qual é o processo para as mulheres? A Dra. Camila Ramos explica as 5 coisas que toda mulher precisa saber para se livrar do preconceito do congelamento de óvulos.

1. Por que as mulheres congelam seus óvulos? 

Algumas mulheres querem adiar a gravidez e se concentrar em subir a escada corporativa. Mas essa não é a única razão pela qual as mulheres optam por congelar seus óvulos. Em uma pesquisa com 740 mulheres realizada pela Cosmopolitan.com, 75% dos entrevistados disseram que querem “tirar a pressão de encontrar um parceiro antes de uma certa idade”. De acordo com a médica especialista em reprodução humana, Dra Camila Ramos, o congelamento de óvulos também é excelente para mulheres diagnosticadas com câncer. Alguns tratamentos contra o câncer, como quimioterapia, radiação e cirurgia, podem destruir os óvulos de uma mulher e resultar a infertilidade.

2. Como é o processo de congelamento? É complicado, doloroso e invasivo?

Dra Camila explica que o procedimento é extremamente rápido – dura de 10 a 15 minutos), é feito sob anestesia e além de ser simples, não tem nenhum tipo de risco de vida. Mas, antes do procedimento, a paciente precisa ser submetida a uma série de injeções diárias de hormônio para promover o crescimento dos folículos. O tratamento completo dura entre 10 e 12 dias.

3. Qual é a melhor idade para o congelamento de óvulos?

O ideal é que o procedimento seja feito até os 35 anos da mulher. Mas, ainda assim o médico explica que um congelamento aos 30 é muito melhor do que um aos 35 anos.

4. Por quantos anos um óvulo pode ficar congelado?

Dra Camila ressalta que não existe um limite de tempo do congelamento. Este é apenas um seguro, que pode ser usado ou não, para que a mulher realize o sonho da maternidade no momento em que se sentir segura e apta para viver essa experiência única.

5. Existem efeitos colaterais?

Geralmente, quanto mais óvulos uma mulher produz enquanto injeções de hormônio, mais severos serão seus efeitos colaterais. Algumas mulheres têm inchaço, sensibilidade mamária e ovários doloridos depois que os óvulos são recuperados. Seguindo o procedimento de recuperação, as mulheres podem retornar ao trabalho no dia seguinte. 

“Depois disso, independente da sua idade e do quão saudável o paciente seja, vale a pena pensar sobre o congelamento de óvulos e garantir o sonho da maternidade dentro do seu melhor momento”, completa a médica.

Deixe um comentário